Grüne Meeresschildkröte beim Luftholen

As tartarugas marinhas – os viajantes dos oceanos

As tartarugas marinhas podem pesar até 1000 quilograma e acredita-se cheguem a atingir até 100 anos de idade. São nadadores elegantes e persistentes. No entanto, em terra, são muito lentas e cada movimento gasta uma grande quantidade de energia. Apenas as fêmeas têm de vir a terra de tempos a tempos para construir o ninho e depositar os ovos em praias de areia.

As tartarugas têm um incrível sentido de orientação que os cientistas ainda não conseguem explicar totalmente, embora a pesquisa sugira que as tartarugas usam o campo magnético da terra. Na idade de 10–20 anos as tartarugas fêmea chegam a terra pela primeira vez, quando retornam exatamente à mesma praia onde elas mesmas nasceram, a fim de colocar os seus ovos. Na sua viagem de volta ao seu local de nascimento, por vezes, deslocam-se enormes distâncias e até mesmo atravessam oceanos.

A fêmea pode ser fertilizada por vários machos. Depois disso, vem a terra geralmente 3 a 5 vezes, em intervalos de 10 a 15 dias, para construir um ninho e depositar cerca de 100 ovos de cada vez. A fim de evitar o calor e os perigos do dia, as tartarugas geralmente colocam seus ovos durante a noite. Arrastando-se ao longo – da praia em busca de um local adequado, começam a cavar um buraco na areia com as barbatanas dianteiras. Cavam um buraco de até 27 polegadas de profundidade, usando as barbatanas traseiras. Este é o local onde os ovos serão colocados. No final todo o ninho tem que ser coberto por areia novamente. Depois de horas de trabalho extremamente difíceis as tartarugas rastejam de volta ao mar.

Cerca de 60 dias depois, os filhotes eclodem dos ovos que se encontram no interior do ninho. Eles contorcem-se na areia, o que os traz todos juntos em direção à superfície, e então, todos correm em direção ao mar. Somente com 2,4 polegadas de comprimento, é agora que encontram o período mais perigoso da sua vida. Muitos deles são comidos por aves, aranguejos, polvos e peixes grandes e alguns morrem de fome ou doença. Apenas cerca de um ou dois em cada mil filhotes sobrevive e cresce até se tornar numa tartaruga adulta. Uma vez terem crescido totalmente, as tartarugas encontram apenas dois inimigos: os tubarões e a Humanidade.

Atualmente sabemos da existência de sete espécies de tartarugas marinhas:

  • Tartaruga-de-couro (Dermochelys choriacea)
  • Tartaruga-verde (Chelonia mydas)
  • Tartaruga-de-pente (Eretmochelys imbricata)
  • Tartaruga-comum (Caretta caretta)
  • Tartaruga-oliva (Lepidochelys olivacea)
  • Tartaruga-de-kemp (Lepidochelys kempii)
  • Tartaruga marinha australiana (Natator depressus)

Quase todas as espécies estão na lista vermelha da IUCN (International Union for Conservation of Nature and Natural Resources: União Internacional para a Conservação da Natureza e dos Recursos Naturais Renováveis) como “vulnerável”, “em perigo” ou “criticamente em perigo”; só para a flatback, que vive apenas em águas australianas e no sul da Nova Guiné, o status é incerto, uma vez que os dados confiáveis são insuficientes.