As tartarugas marinhas – os viajantes dos oceanos

Grüne Meeresschildkröte beim Luftholen

As tartarugas marinhas podem pesar até 1000 quilograma e acredita-se cheguem a atingir até 100 anos de idade. São nadadores elegantes e persistentes. No entanto, em terra, são muito lentas e cada movimento gasta uma grande quantidade de energia. Apenas as fêmeas têm de vir a terra de tempos a tempos para construir o ninho e depositar os ovos em praias de areia.

As tartarugas têm um incrível sentido de orientação que os cientistas ainda não conseguem explicar totalmente, embora a pesquisa sugira que as tartarugas usam o campo magnético da terra. Na idade de 10–20 anos as tartarugas fêmea chegam a terra pela primeira vez, quando retornam exatamente à mesma praia onde elas mesmas nasceram, a fim de colocar os seus ovos. Na sua viagem de volta ao seu local de nascimento, por vezes, deslocam-se enormes distâncias e até mesmo atravessam oceanos.

A fêmea pode ser fertilizada por vários machos. Depois disso, vem a terra geralmente 3 a 5 vezes, em intervalos de 10 a 15 dias, para construir um ninho e depositar cerca de 100 ovos de cada vez. A fim de evitar o calor e os perigos do dia, as tartarugas geralmente colocam seus ovos durante a noite. Arrastando-se ao longo – da praia em busca de um local adequado, começam a cavar um buraco na areia com as barbatanas dianteiras. Cavam um buraco de até 27 polegadas de profundidade, usando as barbatanas traseiras. Este é o local onde os ovos serão colocados. No final todo o ninho tem que ser coberto por areia novamente. Depois de horas de trabalho extremamente difíceis as tartarugas rastejam de volta ao mar.

Cerca de 60 dias depois, os filhotes eclodem dos ovos que se encontram no interior do ninho. Eles contorcem-se na areia, o que os traz todos juntos em direção à superfície, e então, todos correm em direção ao mar. Somente com 2,4 polegadas de comprimento, é agora que encontram o período mais perigoso da sua vida. Muitos deles são comidos por aves, aranguejos, polvos e peixes grandes e alguns morrem de fome ou doença. Apenas cerca de um ou dois em cada mil filhotes sobrevive e cresce até se tornar numa tartaruga adulta. Uma vez terem crescido totalmente, as tartarugas encontram apenas dois inimigos: os tubarões e a Humanidade.

Atualmente sabemos da existência de sete espécies de tartarugas marinhas:

  • Tartaruga-de-couro (Dermochelys choriacea)
  • Tartaruga-verde (Chelonia mydas)
  • Tartaruga-de-pente (Eretmochelys imbricata)
  • Tartaruga-comum (Caretta caretta)
  • Tartaruga-oliva (Lepidochelys olivacea)
  • Tartaruga-de-kemp (Lepidochelys kempii)
  • Tartaruga marinha australiana (Natator depressus)

Quase todas as espécies estão na lista vermelha da IUCN (International Union for Conservation of Nature and Natural Resources: União Internacional para a Conservação da Natureza e dos Recursos Naturais Renováveis) como “vulnerável”, “em perigo” ou “criticamente em perigo”; só para a flatback, que vive apenas em águas australianas e no sul da Nova Guiné, o status é incerto, uma vez que os dados confiáveis são insuficientes.

As tartarugas marinhas estão seriamente ameaçadas de extinção

Stuffed hawksbill turtles openly sold on Derawan

Ameaças naturais e inimigos

Os ninhos de tartarugas marinhas podem ser ameaçados por infecções causadas por fungos ou serem destruídos por ondas altas na praia, por vezes produzidas por fortes ventos e tempestades. Muitas praias também são ameaçadas pela erosão natural ou pela erosão induzida pelo homem causada pelo efeito estufa.

Mesmo antes de nascerem, as tartarugas marinhas podem ser comidas por muitos animais; por exemplo, caranguejos, cães, gatos, pássaros e muito mais. Uma vez jovem, recentemente nascida e já com o seu caminho feito até ao mar, a tartaruga ainda não está a salvo de predadores. As tartarugas marinhas são uma presa comum de peixes e continuam a ser alimento para os tubarões para o resto das suas vidas, mas também para orcas, o maior mamífero vivo dos oceanos; esses grandes caçadores capazes de morder através da carapaça de uma tartaruga adulta.

Ameaças feitas por seres humanos

Caça e exploração de ovos

Em muitos países, as pessoas desenterram ninhos de tartarugas marinhas para comer ou vender os ovos. Apesar das tartarugas marinhas serem protegidas em muitas partes do mundo, estas ainda são caçadas pela sua carne e carapaça. As tartarugas marinhas e seus ovos são uma iguaria em muitos lugares e uma grande quantidade de dinheiro é pago por eles.

Turismo e desenvolvimento costeiro

Todas as espécies de tartarugas marinhas estão perdendo os seus habitats por causa do turismo e do desenvolvimento costeiro; em muitas praias onde as tartarugas nidificam, hotéis e casas são construídas. Teoricamente as tartarugas podem nidificar em praias utilizadas pelas pessoas, mas na prática enfrentam muitos problemas: vindo colocar seus ovos à noite, as cadeiras de sol podem bloquear o seu caminho até à praia. Caso as tartarugas consigam nidificar, as pessoas podem caminhar sobre os ninhos, e até mesmo colocar as suas sombrinhas nos locais onde os ninhos foram depositados e, assim, destruir os ovos. Os filhotes são muito sensíveis às vibrações (este é um dos fatores que ajuda na eclosão dos ovos) as pessoas andando em cima dos ninhos podem levá-los a eclodir durante o dia, o que eleva o risco de serem vítimas de predadores ou simplesmente desidratação provocada pelo sol quente .

As marcas de pneus deixadas por carros e quads, podem ser uma armadilha mortal para filhotes de tartarugas marinhas: se cairem numa dessas valas artificiais, podem não conseguir sair por conta própria. Quando os filhotes de tartaruga nascem durante a noite, começam a rastejar em direção à zona mais clara do horizonte que vêem; em condições naturais esta seria a superfície do oceano que reflecte a luz da atmosfera. Hoje em dia encontramos fontes de luz artificial em muitas praias; luzes de restaurantes, bares, hotéis e casas que distraem os filhotes levando-os a seguir a direção errada, em direção às luzes artificiais e podem nunca chegar ao mar.

Pescas

Muitas tartarugas morrem em redes de pesca como as capturas acessórias ou são atraídos por iscas que são configuradas para pegar outros peixes em palangres. Quando isso acontece, as tartarugas ficam presas e muitas vezes enroscado em artes de pesca ou mesmo engolir o anzol, como resultado, eles não podem voltar à superfície para respirar e se afogar.

Acidentes com embarcações

Como muitos animais marinhos, especialmente mamíferos, as tartarugas marinhas são feridas pelas hélices de barcos a motor e lanchas.

Poluição

Em geral, a poluição dos oceanos está a aumentar e faz com que muitos animais se tornem mais fracos e mais susceptíveis a doenças. Em muitos lugares o lixo é simplesmente despejado no mar. As tartarugas marinhas podem ficar presas em linhas de plástico e redes. Como muitas tartarugas se alimentam de medusas, muitas vezes confundem as suas presas com sacos de plásticos e acabam por comê-los. Como o plástico não pode ser digerido, acumula-se no corpo, bloqueia o sistema digestivo e acaba por matá-las. Muitas tartarugas mortas são encontradas com seus intestinos cheios de sacos de plástico.

Outros tipos de resíduos também podem ser perigosos para as tartarugas marinhas; resíduos, que sejam levados até às margens do mar em grandes quantidades podem bloquear toda uma área ou praia e impedi-las de nidificar.